Stellantis: novo nome e governança entram em vigor

download-pdf
download-image
download-all

A Stellantis N.V. (NYSE / MTA / Euronext Paris: STLA) (“Stellantis”) anunciou hoje que, após a conclusão da fusão entre a Peugeot S.A. (“Groupe PSA”) e a Fiat Chrysler Automobiles N.V. (“FCA”), a 16 de janeiro de 2021, a empresa conjunta adotou a nova designação Stellantis, procedeu à nomeação do Conselho de Administração da Stellantis e que os Estatutos da Empresa entraram em vigor.



A Stellantis N.V. (NYSE / MTA / Euronext Paris: STLA) (“Stellantis”) anunciou hoje que, após a conclusão da fusão entre a Peugeot S.A. (“Groupe PSA”) e a Fiat Chrysler Automobiles N.V. (“FCA”), a 16 de janeiro de 2021, a empresa conjunta adotou a nova designação Stellantis, procedeu à nomeação do Conselho de Administração da Stellantis e que os Estatutos da Empresa entraram em vigor.

Como anunciado anteriormente, o Conselho de Administração da Stellantis é composto por dois diretores executivos, John Elkann (Presidente) e Carlos Tavares (Chief Executive Officer), e os seguintes nove diretores não executivos: Robert Peugeot (Vice-Presidente), Henri de Castries (Diretor Independente Sénior, atuando como voorzitter ao abrigo da legislação holandesa), Andrea Agnelli, Fiona Clare Cicconi, Nicolas Dufourcq, Ann Frances Godbehere, Wan Ling Martello, Jacques de Saint-Exupéry e Kevin Scott.

Adicionalmente, o Conselho de Administração da Stellantis nomeou hoje um Conselho Fiscal, um Comité de Remuneração e um Comité de Governança e Sustentabilidade, com as seguintes composições. Conselho Fiscal: Ann Godbehere (Presidente), Wan Ling Martello e Henri De Castries. Comité de Remuneração: Wan Ling Martello (Presidente), Andrea Agnelli, Henri De Castries, Fiona Cicconi e Robert Peugeot. Comité de Governança e Sustentabilidade: Henri De Castries (Presidente), Andrea Agnelli, Fiona Cicconi, Nicolas Dufourcq e Kevin Scott.

 

Sobre a Stellantis

Stellantis é um dos principais fabricantes mundiais de automóveis e um fornecedor de mobilidade, guiado por uma visão clara: oferecer liberdade de movimento com soluções de mobilidade distintas, acessíveis e fiáveis. Para além do património rico e da ampla presença geográfica do Grupo, os seus maiores pontos fortes residem no seu desempenho sustentável, na profundidade da sua experiência e nos amplos talentos dos seus colaboradores que trabalham em todo o mundo. A Stellantis irá alavancar a sua vasta e icónica carteira de marcas, no espírito dos visionários que infundiram as marcas com paixão e um espírito competitivo que se dirige tanto aos colaboradores como aos clientes. A Stellantis aspira a tornar-se a mais grandiosa empresa da sua indústria, não a maior, ao mesmo tempo que cria valor acrescentado para todos os interessados, bem como para as comunidades em que opera.

 

DECLARAÇÕES PROSPETIVAS

Este comunicado contém declarações prospetivas. Particularizando, estas declarações prospetivas incluem declarações relativas ao desempenho financeiro futuro e as expectativas da FCA e da PSA (as “Partes”), quanto à realização de determinadas métricas orientadas em qualquer data ou período futuros são declarações prospetivas. Essas declarações podem incluir termos como “pode”, “será”, “esperadas”, “poderia”, “deveria”, “têm como intenção”, “estimar”, “antecipar”, “crer”, “ficar”, “encaminhado”, "criar”, “meta”, “objetivo”, “previsão”, “projeção”, “perspetivas”, "plano" ou termos similares. As declarações prospetivas não são garantias de performance futura. Em vez disso, baseiam-se no estado atual de conhecimento das Partes, nas expectativas futuras e nas projeções de eventos futuros e estão, pela sua natureza, sujeitas a riscos e incertezas inerentes. Elas referem-se a acontecimentos e dependem de circunstâncias que se podem ou não produzir, existir ou não no futuro, pelo que, não se deve depositar nelas uma confiança indevida.

Os resultados reais podem diferir materialmente dos expressos nestas declarações prospetivas devido a diferentes fatores, nomeadamente: o impacto da pandemia da COVID-19, a capacidade do Grupo de lançar novos produtos de sucesso, de manter os volumes de entrega de veículos; de fazer face às evoluções dos mercados financeiros mundiais, da conjuntura económica em geral e da procura de produtos automóveis, que estão sujeitos aos respetivos ciclos; às alterações das condições económicas e políticas locais; às alterações nas políticas comerciais e na imposição de impostos globais e regionais e de impostos específicos para a indústria automóvel, à promulgação de reformas tributárias ou outras mudanças nas leis e regulamentação fiscal; à capacidade do Grupo em expandir algumas das suas marcas a uma escala global; à capacidade do Grupo de propor produtos inovadores e atrativos, à capacidade do Grupo em desenvolver, fabricar e vender veículos dotados de recursos avançados, incluindo características melhoradas ao nível da eletrificação, conectividade e recursos de condução autónoma; aos vários tipos de reclamações, processos, investigações governamentais e outras contingências, incluindo reivindicações de responsabilidade de produtos e de garantias e reivindicações ambientais, investigações e processos judiciais; de despesas operacionais significativas relacionadas com o cumprimento das normas ambientais, sanitárias e de segurança; ao nível intenso de concorrência na indústria automóvel, que poderá aumentar como resultado da consolidação; à exposição a déficits de financiamento nos planos de previdência de benefícios do Grupo; à capacidade de fornecer ou organizar o acesso a financiamentos adequados para concessionários e clientes de retalho e os riscos associados à criação e operação de sociedades de serviços financeiros; à capacidade de aceder a financiamento para executar planos de negócios do Grupo e melhorar as suas operações, a sua posição financeira e os seus resultados operacionais; a uma disfunção significativa, perturbação ou violação de segurança que comprometa os sistemas informáticos ou os sistemas de controlo eletrónico integrados nos veículos do Grupo; a capacidade do Grupo em alcançar os benefícios esperados dos acordos da joint-venture; perturbações resultantes de instabilidade política, social e económica; os riscos associados ao relacionamento do Grupo com os funcionários, concessionários e fornecedores; o aumento dos custos, perturbações no fornecimento ou escassez de matérias-primas; alterações nas relações de trabalho e com os trabalhadores e alterações na legislação laboral aplicável; flutuações cambiais, alterações nas taxas de juros, risco de crédito e outros riscos de mercado; agitação política e civil; terramotos ou outras catástrofes naturais; as incertezas sobre a integração com sucesso das operações do Grupo; e outros riscos e incertezas.

As declarações prospetivas expressas nesta comunicação apenas são válidas a partir da data em que foram formuladas, pelo que o Grupo declina qualquer obrigação de atualizar ou rever publicamente as presentes declarações prospetivas. Informações adicionais sobre o Grupo e as suas empresas, incluindo fatores suscetíveis de afetar significativamente os resultados financeiros do Grupo, estão incluídas nos relatórios e registos da FCA junto da Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos da América (incluindo a declaração de registo no Formulário F-4 que foi declarado conforme pela SEC a 20 de novembro de 2020), nos registos da AFM e da CONSOB, estando os registos da PSA a cargo da AMF.

 

Scroll